Nesse espaço

Textos psicografados, romance, Umbanda, Espiritismo compõem a tônica do A Alma das Coisas.
By
Annapon ( escritora e blogueira )

Romance Mediúnico

A Missão das Quatro Estações

Olá amigos leitores do "A Alma das Coisas"! O blog está com uma novidade, romance mediúnico totalmente gratuito. Esse é mai...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Sexta-feira tem mistério?





Excelente texto de Mãe Mônica!
Gostei e compartilho! Vivendo e aprendendo!
Annapon



Muitas vezes me perguntam porque os trabalhos religiosos da Umbanda acontecem, quase que na maioria às sextas-feiras. Afinal, o que envolve esse dia da semana para que a maioria dos umbandistas e terreiros “oficializem” esse dia como Dia de Gira? Qual será o mistério?

Pois bem, em primeiro lugar é importante saber que o dia da semana em que o terreiro irá trabalhar caritativamente e religiosamente é, e deve ser, estipulado pelo Guia Chefe do Terreiro, ou seja, aquele que se manifesta no Pai ou na Mãe Espiritual como Guia Chefe.

É Ele quem, com toda sua capacidade e grau espiritual, saberá o melhor dia de trabalho tanto para o plano Superior como para plano material. Deve-se compreender que no dia de gira muitas coisas acontecem no astral, há toda uma preparação energética para que os trabalhos sejam bem sucedidos, a exemplo temos os campos de proteções que são criados e estabelecidos, os portais entre esta e outras dimensões que são abertos, os elementais e encantados da natureza que são direcionados e “usados” durante as giras, entre outras coisas. Além disso, e especialmente, temos ainda toda a ação espiritual que comporta e compromete uma numerosa quantidade de espíritos que nos auxiliam durante toda a gira. São grupos de espíritos que asseguram o bom desenvolvimento dos trabalhos espirituais, grupos de espíritos que atuam como enfermeiros e médicos responsáveis pelo encaminhamento e cura dos espíritos doentes, grupos de espíritos que conduzem os assistidos para aquele Terreiro, grupos de espíritos que protegem os médiuns assegurando a chegada deles ao Terreiro, grupos de espíritos aprendizes, além de todas as Linhas de Trabalho de nossa Umbanda, e isso quer dizer que em todas as giras, independente da linha de trabalho do dia, teremos caboclos, pretos-velhos, baianos, boiadeiros, marinheiros, exus, entre outros, sustentando e trabalhando espiritualmente, mesmo que para nós seja imperceptível. Portanto, abrir uma gira envolve uma imensa organização no astral para que todos possam realizar e executar um excelente trabalho, e quem “organiza” toda essa estrutura é esse Guia Chefe que, com certeza, é um espírito altamente evoluído e sábio, um grande missionário do Astral Superior que realiza “coisas” que só numa condição muito elevada se é capaz.

Com isso esclarecido fica descaracterizada a crença de que sexta feira é ou deve ser o ‘dia oficial de gira’, no entanto é importante saber que esse dia da semana tem uma grande representação, um enorme significado e um expressivo valor sagrado para muitas religiões e culturas, inclusive para os muçulmanos, que têm esse dia caracterizado como Dia Sagrado do Islamismo, pois é obrigação de todos os muçulmanos, tanto homens quanto mulheres, realizarem pelo menos a oração do meio dia em comunidade na sexta feira. Ou ainda para os judeus que têm nas noites de sextas-feiras, após as 18 horas, o inicio do Shabat, ritual mais importante que contempla os aspectos espirituais da vida. Nesse ritual são recitadas as bênçãos sobre as velas, vinho, pão entre outros elementos, propõe o descanso e, principalmente, passar todo o tempo com a família em harmonia. Não podemos deixar de mencionar ainda que esse dia também faz referência à morte de Jesus Cristo sinalizando a Salvação e o dia do encontro com o Pai. Podemos perceber então todo valor sagrado relacionado com a sexta feira, principalmente nessas religiões que basicamente geraram ou influenciaram tantas outras religiões.

Fazendo relação com a energia dos planetas, maravilhosamente teremos o planeta Vênus influenciando nossas sextas feiras. A energia desse planeta nos inspira a concretização do que é divino expressando que o espírito está acima da matéria, além de irradiar uma energia de harmonia, paz, alegria, amor e afetividade. Tanto é que a civilização Maia elaborou um calendário religioso baseado nos ciclos de Vênus.

Agora, não podemos deixar de dizer que para nós, umbandistas, sexta feira é dia de Oxalá, considerado e cultuado como o Orixá mais sublime de nossa Umbanda, é o Pai que exprime e nos ensina a vivenciar a serenidade, a compaixão e a caridade. Para alguns ainda, sexta-feira também é dia de Iemanjá, a grande Mãe que nos ensina vivenciar a tolerância, o amor e a vida em sua plenitude.

Portanto, sexta-feira é um dia mais que especial para aqueles que querem vivenciar e manifestar seu lado Sagrado.

Um dia maravilhoso para vestir o branco e fazer o bem seja lá a quem.

Até que enfim chegou sexta-feira… uhu…

Escrito por Mãe Mônica Caraccio

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Dr. Bezerra de Menezes (29.08.2011 - Comemoração de seu aniversário -)








Adolfo Bezerra de Menezes nasceu na antiga Freguesia do Riacho do Sangue (hoje Jaguaretama) , no Estado do Ceará, no dia 29 de agosto de 1831, desencarnando no Rio da Janeiro, no dia 11 de abril de 1900.
No ano de 1838 entrou para a escola pública da Vila do Frade, onde, em dez meses apenas, preparou-se, suficientemente, até onde dava os conhecimentos do professor que dirigia a primeira fase de sua educação. Muito cedo revelou a sua fulgurante inteligência, pois aos 11 anos de idade iniciava o curso de Humanidades e, aos 13 anos, conhecia tão bem o latim que ele próprio o ministrava aos seus companheiros, susbtituindo o professor da classe em seus impedimentos.
Seu pai era um homem relativamente abastado, porém, por efeito de seu bom coração, comprometeu sua fortuna, dando abonos em favor de parentes e amigos, que o procuravam, a fim de explorarem os seus sentimentos de caridade. Percebendo, então, que seus debitos igualavam seus haveres procurou os credores e lhes propôs entregar sua fazendas de criação e tudo o mais que fosse suficiente para integralizar a divida.
Os seus credores recusaram a proposta, dizendo-lhe que pagasse quando e como pudesse. O honrado cidadão insistiu, mas não conseguindo demover seus credores decidiu-se a tornar mero administrador do que fora a sua fortuna, retirando apenas o que fosse necessario para a manutenção de sua familia, que passou da abundancia as privacoes.
Foi nessa fase que Adolfo Bezerra de Menezes, formulando os mais veementes votos de orientar-se pelo carater integro de seu pai, e com minguada quantia que seus parentes lhe deram, partiu para o Rio de Janeiro, a fim de seguir a carreira que sua vocação lhe inspirava - a Medicina.
Ingressou em novembro de 1852 como praticante interno no Hospital da Santa Casa de Misericordia. Doutorou-se em 1856, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Em 1858, concorreu a uma vaga de lente substituto da Seção de Cirurgia da Faculdade de Medicina. Nesse mesmo ano, o mestre Manuel Feliciano Pereira de Carvalho, então Cirurgião-Mor do Exercito, fe-lo nomear seu assistente, com o posto de Cirurgião-Tenente.
Eleito vereador municipal pelo Partido Liberal, em 1861, teve sua eleição impugnada pelo chefe conservador Haddock Lobo, sob a alegação de ser medico militar. Com o objetivo de servir o seu partido, que necessitava dele para ter maioria na Camara, resolveu afastar-se do Exército. Em 1867, foi eleito Deputado Geral, tendo ainda figurado numa lista triplice para uma carreira no Senado.
Quando politico, levantaram-se contra ele, a exemplo do que sucede com todos os politicos honestos, rudes campanhas de injuria, cobrindo seu nome de improperios entretanto, a prova da pureza de sua alma, deu-a, quando deliberou abandonar a vida publica e dedicar-se aos pobres, repartindo com os necessitados o pouco que possuia. Corria sempre ao casebre do pobre onde houvesse um mal a combater, levando ao aflito o conforto de sua palavra de bondade, o recurso da sua profissão de medico e o auxilio da sua bolsa minguada e generosa.
Afastado interinamente da atividade politica, dedicou-se a empreendimentos empresariais criou a Companhia Estrada de Ferro Macae-Campos, na então provincia do Rio de Janeiro. Posteriormente, empenhou-se na contrução da via ferrea de Santo Antonio de Padua, pretendendo leva-la ate o Rio Doce, desejo que não conseguiu realizar. Foi um dos diretores da Companhia Arquitetonica que, em 1872 abriu o Boulevard 28 de Setembro , no então bairro de Vila Isabel. Em 1875, foi presidente da Companhia Carril de São Cristovão. Voltando a politica, foi eleito vereador em 1876, exercendo o mandato ate 1880. Foi ainda presidente da Camara e Deputado Geral pela Provincia do Rio de Janeiro, no ano de 1880.
Quando o Dr. Carlos Travassos empreendeu a tradução de O Livro dos Espiritos , de Allan Kardec, ofereceu um exemplar, com dedicatoria, a Bezerra de Menezes. No dia 16 de agosto de 1886, um auditorio com cerca de duas mil pessoas da melhor sociedade, que enchia o salão de honra da Velha Guarda, ouviu, em silencio, emocionado, atonito, a palavra de ouro do eminente politico, do eminente medico, do eminente cidadão, do eminente catolico, Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, que proclamava aos quatro ventos a sua adesão ao Espiritismo. Ela era um autentico religioso, no mais alto sentido. Sua pena foi, por isso, desde o primeiro artigo assinado, em janeiro de 1887, posta ao serviço do aspecto religioso do Espiritismo.
Demonstrada a sua capacidade literaria no terreno filosofico, que pelas replicas, quer pelos estudos doutrinarios, a Comissão de Propaganda da União Espirita do Brasil incumbiu Bezerra de Menezes de escrever, aos domingos, no O Paiz , tradicional orgão da imprensa brasileira, dirigido por Quintino Bocaiuva, uma serie de artigos sob o titulo O Espiritismo - Estudos Filosoficos . Os artigos de Max , pseudonimo de Bezerra de Menezes, marcaram a epoca de ouro da propaganda espirita no Brasil. Esses artigos foram publicados, ininterruptamente, de 1886 a 1893.
Bezerra de Menezes tinha o encargo de medico como verdadeiro sacerdocio por isso, dizia: Um medico não tem o direito de terminar uma refeição, nem de escolher hora, nem de perguntar se e´ longe ou perto, quando um aflito qualquer lhe bate a porta. O que não acode por estar com visitas, por ter trabalhado muito e achar-se fatigado, ou por ser alta noite, mau o caminho ou o tempo, ficar longe ou no morro o que, sobretudo, pede um carro a quem não tem com que pagar a receita, ou diz a quem chora a porta que procure outro, esse não e´ medico, e´ negociante de medicina, que trabalha para recolher capital e juros dos gastos da formatura. Esse e´ um infeliz, que manda para outro o anjo da caridade que lhe veio fazer uma visita e lhe trazia a unica esportula que podia saciar a sede de riqueza do seu Espirito, a unica que jamais se perdera nos vais-e-vens da vida.
No ano de 1883, reinava um ambiente francamente dispersivo no seio do Espiritismo no Brasil, e os que dirigiam os nucleos espiritas do Rio de Janeiro sentiam a necessidade de uma união mais estreita e indestrutivel.
Os Centros Espiritas, onde se ministrava a Doutrina, trabalhavam de forma autonoma. Cada um deles exercia sua atividade em um determinado setor, despreocupado em conhecer as atividades dos demais. Esse estado de coisas levou-os a fundação da Federação Espirita Brasileira (FEB).
Nessa epoca, ja existiam muitas sociedades espiritas, porem as unicas que mantinham a hegemonia eram quatro: a Academica, a Fraternidade, a União Espirita do Brasil e a Federação Espirita Brasileira. Entretanto, logo surgiram entre elas rivalidades e discordias. Sob os auspicios de Bezerra de Menezes, e acatando importantes instrucoes, dadas por Allan Kardec, atraves do medium Frederico Junior, foi fundado o famoso Centro Espirita porem nem por isso deixava Bezerra de dar a sua cooperação a todas as outras instituicoes.
O entusiasmo dos espiritas logo se arrefeceu, e Bezerra de Menezes se viu desamparado dos seus companheiros, chegando a ser o unico frequentador do Centro. A cisão era profunda entre os espiritas que se dividiam em misticos e cientificos .
Em 1893, a convulsão provocada no pais, pela revolta da armada, provocou o fechamento de todas as sociedades espiritas. No Natal do mesmo ano, Bezerra encerrava a serie de artigos que vinha publicando em O Paiz .
Em 1894, o ambiente demonstrou tendencias de melhora e o nome de Bezerra foi lembrado como o único capaz de unificar a família espírita. O infatigável batalhador, com 63 anos de idade, assumiu a presidência da FEB, cargo que ocupou até 11 de abril de 1900, quando desencarnou, vítima de violento ataque de congestão cerebral.
Devido ao seu Espírito caridoso e prestativo, Bezerra de Menezes mereceu o cognome de O Médico dos Pobres .


Fonte: FEESP - Federação Espírita do Estado de S. Paulo




Aniversário de seu nascimento (1831). Médico dedicado aos pobres. Espírita, ajudava a todos que necessitavam. Doou-se durante toda a sua vida. Mentalizar um facho de luz branca derramando-se por toda a humanidade. Bezerra de Menezes nos deixou três Grandes ensinamentos. O primeiro fala do amor. É preciso que nos amemos e amemos ao próximo. O segundo diz que é preciso estar consigo
mesmo também, porque só quem está interiormente em paz, só quem está interiormente equilibrado é capaz de irradiar este equilíbrio e esta paz, a tal ponto que transforme a vida das pessoas. O terceiro ensinamento que nos transmite Bezerra de Menezes é que saber estar com o outro é também estar com o Plano Espiritual Superior.
Estar com os nossos Mentores. Estar com Deus. E esse estar com Deus parece um círculo, exige o estar com nós mesmos. O estar com nós mesmos é ter consciência do meu "eu", tanto do lado positivo quanto do lado negativo. Quando aflorar o lado negativo devo encará-lo sem louvor e sem censura para podê-lo trabalhar serenamente e superá-lo, porque se eu me encho de culpas ele se fortalece ainda mais. E se me acomodo com ele, igualmente se fortalece.



Fonte: Templo do Vale do Sol e da Lua

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mãos de Luz






MÃOS DE LUZ - BARBARA ANN BRENNAN

Bárbara, nos conta suas experiências depois de anos trabalhando com esta força que
impulsiona a vida, Quer nos mostrar como podemos nos beneficiar , se
melhor compreendermos o campo de energia que nos envolve, que envolve a
vida. Energia esta semelhante a luz de uma vela, ela nos rodeia e
penetra em nosso campo físico, está associada a nossa saúde física,
mental e espiritual.Quando a energia não flui livremente ela gera
bloqueios e causa desequilíbrios, dando início aos problemas no campo
físico. O curador precisa buscar a causa do problema. O método de cura
aqui demonstrado é o da imposição das mãos, nos mostra, também, que
para melhor utilizá-lo devemos primeiro, desenvolver a Alta Percepção
Sensorial (APS), que nada mais é do que um estado ampliado de
consciência. Este estado é que vai permitir a percepção das coisas alem
dos limites normais de consciência. São vários os métodos para ampliar
nossa consciência, sendo que o mais conhecido é a meditação, esta,
também desenvolvida por diversos meios, cada um deve buscar o que
melhor se adapte. No relato de suas experiências, faz inúmeras
demonstrações, demonstrações estas que nos mostram o modo de ver a
energia humana e a energia universal . Nos mostra a função desta
energia através de seus chacras, as suas obstruções , ou bloqueios. Você
quer aprender a curar-se , este é o desafio. Cura significa compreender
a relação que há entre causa e efeito. Desafio este que nos leva a
entender a vida. A vida que se inicia numa simples pulsação e se
expande no universo a fora, interagindo entre si. O curador precisa ser
capaz de sentir a força e a intensidade desta energia que envolve a
vida. A energia que nos envolve e envolve todos os seres vivos ou
objetos, é uma luz que tem cores. Quando esta energia estiver estagnada
ela aparece com cores escuras, ao contrário, quando a pessoa for sadia,
esta energia aparece com cores brilhantes.A doença, na maioria das
vezes inicia com um trauma psicológico ou físico. A cura requer mudança
de hábitos e a remoção do trauma que deu origem à doença, para não
obter o efeito sanfona. Precisamos entender a doença ? o que ela
significa, o que posso aprender com ela? Na busca mais profunda do ser
está a chave de nossas enfermidades. Precisamos ser capazes de ouvir o
que o corpo nos fala. A doença nos revela que algo importante está
sendo por nós ignorado, o que é?. Investigar a causa é promover
mudanças, mudanças no jeito de agir, no jeito de ser e sentir. Só a
mudança é capaz de nos levar a verdadeira cura. O curador, o terapeuta, o médico e os medicamentos são apenas os veículos que nos conduzem a cura. Quanto
mais prestarmos atenção em nós, mais seremos capazes de detectarmos
qualquer desconforto . Desconforto este que nada mais é do que uma
mensagem do corpo. Este mal estar está nos dizendo que estamos fora do
alinhamento do nosso verdadeiro eu. Ouvir o corpo é comer quando se
está com fome, descansar quando se está cansado, é cuidar do que nos
aborrece e modificar, atendendo aos desconfortos buscamos o equilíbrio,
e conseqüentemente a saúde. Prestar atenção é ouvir a voz interior, é
deixar fluir as mais singelas informações , sem obstruir seu processo. Para
praticar a cura, precisamos estar abertos a toda e qualquer mudança,
ponto de partida que transforma a vida, e a torna plena, porque nos faz
crescer, crescer na dor ou no amor. Amor este que nos impulsiona.
Ame-se simplesmente Deixe-se fluir livremente pela dança da vida, caso
contrário estar obstruindo seu progresso. É chegada a hora de mudar. É
chegada a hora de crescer. Sinta o amor que há em você, sinta o
significado mais profundo do ser, sinta as experiências agradáveis e as
dolorosas, porque são elas as lições da volta para casa, o caminho para
Deus. Permita-se ser a luz que expande o universo.

Fanatismo



Olá amigos!
O texto que posto abaixo, falando sobre fanatismo, é um alerta a todos nós. Creio que convicções sejam saudáveis desde que não contraiamos o péssimo hábito de impo-las aos outros.
Annapon

Assim como na paixão, o fanatismo não conta com uma explicação única. Há aqueles que são fanáticos por música. Outros são fanáticos por viagens. Existem também os que são fanáticos por doces. De certo que existem fanáticos para tudo. E o termo acabou se banalizando, perdendo força e conteúdo. Porém, no fanatismo, nem tudo está baseado apenas na paixão.

Há casos em que o sujeito fanático extrapola em suas emoções.
A história registra casos em que o fanatismo serviu de explicação para perseguições, torturas e humilhações. A religião e a política, por exemplo, já serviram de mote para que o fanatismo mostrasse o seu aspecto mais cruel. No esporte, os torcedores fanáticos se dividem entre as excentricidades de um apaixonado pelo time e aqueles que se aproveitam do esporte para justificar atos de violência.

A psicóloga Márcia Batista dos Santos afirma que o fanático normalmente comete atos que extrapolam os limites aceitos socialmente, por isso são normalmente identificados pelas suas excentricidades. “Não há uma explicação única para justificarmos a existência de pessoas que se tornam fanáticas. Cada pessoa tem um modo singular de construir sua existência e que perpassa por experiências particulares e consequente desenvolvimento de sua vida psíquica”.

Ela explica que um caminho possível de pensarmos este tipo de ação do sujeito seria considerar uma posição narcisista do sujeito, centrada em si, primitiva, infantil. “Nesta fragilidade do sujeito, abrir mão de seu ponto de vista se torna tarefa bastante difícil, não sendo ele em alguns momentos capaz de dar conta em barrar seus impulsos”. O grande perigo consiste exatamente na certeza absoluta e incontestável que ele tem a respeito de suas verdades.

O fanatismo pode ser classificado através de alguns comportamentos. O excesso, certa ingenuidade, intolerância, rigidez no pensamento, crenças absolutas, inflexibilidade e, até mesmo, atitudes consideradas irracionais como nos casos de violência. “Podemos falar que o fanatismo porta, em parte, características psicóticas em que o sujeito não duvida da sua escolha, do seu pensamento. Há uma certeza absoluta. Não quero, no entanto, afirmar que todo fanático tenha uma estrutura psicótica, mas esta é uma possibilidade também”, considera. (Viviane Gonçalves)

Texto extraído do site O Povo On Line

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Esposa amiga ( mensagem de Vovó Cambinda)





Esposa Amiga

Assim como a maioria das mulheres, a protagonista dessa história se casou cheia de sonhos, planos, projetos de alegrias e venturas.
Esmerou-se na arrumação do novo lar e dos preparativos para o grande dia que considerava ser o dia, até então, mais importante de sua vida.
O noivo compartilhava de toda essa euforia com sua noiva, também ele tinha sonhos, planos, projetos e, assim como ela, esperava pelo grande dia que mudaria seu estado civil e sua vida.
Amigos e parentes também compartilhavam a alegria do casal e se envolvia na arrumação geral para esperarem, também eles, o grande dia que prometia muita emoção.
Tudo pronto, revisados os detalhes, eis que o dia amanhece prometendo modificar para sempre duas vidas que haveriam de se unir, naquele dia, pelos laços da afeição e afinidade.
Ânimos agitados, correria. Os noivos já sentiam, desde cedo, aquele “frio na barriga” e o nervosismo natural pela chegada de tão esperado dia.
A nave da igreja, enfeitada de finas flores, aguardava a chegada dos noivos “mais felizes do mundo” e, esses, por sua vez, tremiam só de pensar no momento de entrar ao som da marcha nupcial que os faria congelar as veias e tremer, de emoção, todo o corpo.
E foi o dia mais feliz, até aquele momento, na vida dos noivos. A cerimônia fora bela e emocionante. A noiva estava linda e o noivo elegante.
Os convidados, vestidos à altura, cumprimentavam o casal buscando secar lágrimas de emoção que, nas mulheres, causavam o incomodo borrão na maquiagem e nos homens, constrangimento.
A festa, impecável, aparentemente a todos agradava e seguia o casal feliz naquele dia tão especial de suas vidas, sorrindo, posando para uma infinidade de fotos, mas com muito boa disposição.
Fim da festa, malas prontas, o casal vai viajar no sonho da Lua de Mel que melhor seria se fosse de cristal, mas, essa é apenas uma consideração, algo a se refletir e pensar.
Felizes passeiam, amam, desfrutam das belezas da viagem tão sonhada, mas, viagens também acabam e a volta à realidade é inevitável.
Volta o casal para começar uma nova vida em seu novo lar aconchegante e planejado com esmero pelos dois radiantes noivos recém casados.
Voltam aos seus respectivos trabalhos ainda sob o efeito inebriante da Lua de Mel. Comentam com seus amigos sobre a maravilhosa cerimônia, festa e viagem. Vivem, por algum tempo ainda assim, sob o efeito da euforia natural de quem realiza um sonho.
O tempo, porém, passa e com ele leva a euforia, deixa apenas a lembrança dos momentos de tão grande alegria.
A vida real começa para o casal trazendo consigo o natural problema de quem inicia um convívio diário, compartilhando o mesmo teto. Nesse momento discussões e desentendimentos também são naturais, pois o período de adaptação do casal é uma questão delicada.
Passado o período critico, o casal vai se acomodando e se adequando à nova vida, que já não tem mais a doçura e o encanto da Lua de Mel, nem tampouco a euforia da cerimônia, festa, viagem.
E o dia mais feliz da vida do casal passa deixando lembranças, porém, a chegada de uma criança toma definitivamente seu lugar. Agora, o dia mais feliz da vida dos dois é o dia que chega ao mundo o tão esperado filho, que será neto, sobrinho, primo, filho do casal amigo do qual alguém foi padrinho de casamento.
Dias mais felizes mudam conforme muda a vida e o interesse do ser humano.
A criança então rouba a cena, cuidados são necessários. E o casal coruja se desdobra para atender o pequenino ser em suas tantas necessidades.
Mas o tempo passa, a criança cresce e o casal espera por mais um dia que venha a se somar aos outros dias mais felizes de suas vidas, talvez, quem sabe, a chegada do neto se torne então esse dia feliz tão esperado.
Ao longo desse caminho, porém, muitas coisas acontecem. O relacionamento exige compreensão, tolerância, amizade em esquema de mão dupla para poder se manter firme e sólido, como sonham tantos, porém em alguns casos, as coisas não acontecem bem assim e um dos dois tem de ser mais forte.
Alguns casais sucumbem aos primeiros ventos que anunciam uma tempestade, outros sobrevivem aos ventos vindo a sucumbir aos primeiros raios, mas há os que sobrevivem bravamente às tempestades, alcançando a calmaria renovadora que chega imediatamente após uma forte tormenta.
Nossa protagonista, ao longo da história de seu casamento, viveu alegrias e tormentos. Superou a dor, o constrangimento, com muita fé e coragem. Jamais esqueceu os doces sonhos do começo, pelo contrário, foram esses sonhos que alimentaram sua alma para que ela superasse as dificuldades.
O marido, antes tão presente e prestativo, alguns anos depois do nascimento do filho, passa a apresentar sinais de irritação, modificando sua conduta antes irrepreensível. Ela percebe a mudança, busca o dialogo em vão. O tempo passa e a situação mais se agrava. Ele fala em separação, mas ela não quer nem discutir o assunto fechando-se em copas. Ele insiste, ameaça e daí para a violência foi um pequeno salto. Mesmo assim ela não pensa em separação, pois o homem pelo qual se apaixonou e casou, não era aquele que agora a agredia, insultava.
Diante de tão triste situação, ela, sem saber ao certo o que se passava com o marido, foi em busca de auxilio espiritual. Bateu em muitas portas, foi explorada financeiramente, mas não desistiu da busca. Foi uma longa caminhada até que encontrou a ajuda tão exaustivamente buscada na fé de franzina senhora que com muito amor e boa vontade, atendia as pessoas em sua humilde casa. A senhora franzina, de alma cristalina, era médium de incorporação e trabalhava com uma entidade de muita luz e sabedoria.
Ciente do problema espiritual que seu companheiro vinha a anos enfrentando, ela então se mune de coragem e reúne forças para enfrentar a batalha. Foram vários atendimentos e muitas conversas amigas com a franzina senhora que, incorporada, a orientava com muito amor e cuidado.
Preces diárias tornaram-se um hábito para ela, bem como a higienização de seu lar com ervas especialmente preparadas pela entidade amiga que ela carinhosamente passou a chamar de vovó.
Foi um longo caminho, porém, os primeiros frutos de tanta dedicação não tardaram a aparecer. Pouco a pouco, seu companheiro foi se acalmando, por vezes até voltava a ser gentil agradável e carinhoso com todos e em casa.
Quando a situação já apresentava sinais de controle, vovó pediu a ela que trouxesse seu companheiro à sua presença. Ela, porém, sabia que seria difícil convencê-lo a ir, mas, confiando sempre na luz e na força da vovó, o convidou. Ele aceitou imediatamente o convite sem discutir, fato que muito a espantou, porém, encheu de alegria o seu coração que era só amor e bondade em sua mais profunda essência.
Juntos, diante da franzina senhora que incorporava a doce vovó, o casal então, tomado de surpresa, recebeu a seguinte revelação:
“Vocês passaram pela tormenta! Alegrem-se! Sei que a prova foi dura para os dois, porém, vocês venceram. O amor triunfou. A paciência temperou e Nosso Senhor abençoou a união de vocês que agora está fortalecida, pois, na ventura, tudo é mel, mas na dificuldade, tudo é fel. Vocês atravessaram as nuvens escuras, agora é tempo de desfrutar do bem que a experiência traz. Em outros tempos, numa outra vida, vocês não conseguiram superar a discórdia e se tornaram inimigos. Voce, filha, um dia fez esse seu companheiro sofrer muito por conta de sua rebeldia e falta de limites, mas agora, superou tudo com a força do amor e da perseverança no bem em seu coração. Foi por isso que ele passou por essa crise de personalidade, para que enfim vocês se acertassem e se perdoassem como nos ensina Jesus. O perdão os libertou. Não fosse seu amor filha e a sua insistência em recuperar seu marido, a essas horas não estaríamos aqui reunidos, falando dessa história vivida por vocês. Na verdade voce precisava mais de ajuda do que ele, compreende filha? As vezes o que parece ser não é e o contrário também vale. Voce precisava dessa experiência para que sua alma fosse lapidada e para que o amor se fortalecesse em seu coração. Voce filho, por sua vez, se deixou envolver demais pela crise que deveria ter sido menos áspera. Voce também é responsável pelos excessos que não deveriam ter alcançado os patamares da violência, mas, o amor tudo cura. Comecem uma nova etapa em suas vidas, apaguem o passado e sigam em paz. Cuidem muito bem um do outro para que essa oportunidade que Deus está dando a vocês seja coroada de muito sucesso e luz. Agora é seguir em frente com muita amizade e compreensão.”
A esposa amiga venceu. Ela lutou bravamente pelos seus sonhos e pelo perdão que sua alma tanto necessitava, perdoando seu companheiro é que na verdade ela foi perdoada e, lutando pela sua recuperação é que ela enfim se recuperou.
O bem é contagioso e quando nele perseveramos nos iluminamos e nada há que possa vir a fazer sucumbir o bem que conquistamos com fé, esperança e amor.



Vovó Cambinda da Guiné e Anna em 21.09.2010


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O Vale dos Tatuados


ATENÇÃO! 

NÃO ACREDITEM EM TUDO AQUILO QUE ALGUÉM ESCREVEU! O BOM SENSO E O DISCERNIMENTO SÃO NECESSÁRIOS PARA QUE POSSAMOS VIVER EM PAZ E EQUILÍBRIO!

As palavras de nossa mana Kytanna são claras e podem colaborar no sentido de diluir esse tremendo mal entendido sobre esse tal vale que talvez exista apenas na imaginação dos preconceituosos e intolerantes. A verdade jamais sucumbe. E o amor de Deus a todos acolhe, respeita, sem distinção!
Annapon



O Vale dos Tatuados - Opinião espírita
É o local, segundo crêem alguns, onde ficam exiladas as almas daqueles que, durante a vida terrena, marcaram seus corpos com tinta.
Há pessoas que acreditam que o próprio inferno aguarda por essas almas infelizes, ou que, no mínimo, elas não poderão entrar no céu (seria o próprio Deus preconceituoso?), e decerto ficarão penando, caso não tenham sido tão más em vida a ponto de merecerem a punição das chamas.
Não crendo em céu, inferno e danação eterna, alguns espíritas inventaram o tal vale para que não nos misturemos com as almas de pele “limpa”. Nesse lugar escuro viveremos como animais imundos e maltrapilhos, mesmo que tenhamos o coração mais puro e generoso que o de muitos não-tatuados...
Lá poderemos, decerto, pensar em nosso pecado (a tatuagem) e, com medo da punição, não o cometeremos novamente em nossa próxima encarnação. O que um desenho na pele influencia em nossa evolução espiritual é o que ainda não entendi...
Ouvi falar várias vezes nesse lugar. Um dia, uma senhora me chamou a atenção, na rua, com a nobre intenção de alertar sobre o meu desgraçado destino no além-túmulo. Respondi-lhe que tudo isso, para mim, não passava de uma invenção preconceituosa para inibir aqueles que desejam ter uma tatuagem, e taxar os já tatuados como diferentes e piores aos olhos de Deus: “Imagine se Deus vai se preocupar com a cor de nossa pele, o que importa para Ele é o que levamos em nossos corações.” “Mas está escrito”, foi a sua resposta convicta.
É verdade, está escrito. E daí? Será que o fato de uma afirmação estar escrita e publicada faz com que ela passe a ser verdade absoluta e incontestável? Algumas pessoas acham que sim, principalmente pelo fato do referido texto ter sido psicografado, o que significa que as idéias e palavras foram imaginadas por um espírito e escritas pelas mãos de um médium.
Para os seguidores da doutrina espírita, quando morremos, ou melhor, quando deixamos nosso corpo carnal, continuamos a ser a mesma pessoa, com a mesma personalidade, apenas livres das limitações da matéria. Ou seja, não passamos, a partir daí, a saber todas as verdades. Não nos tornamos oniscientes. ESTÁ ESCRITO.
O livro “Mais além do meu olhar” (Editora Recanto, 2001), escrito pelo Espírito Luiz Sérgio e psicografado pela médium Irene Pacheco Machado, tem uma descrição terrível desse local (o Vale dos Tatuados), e uma crítica ferrenha e extremamente preconceituosa contra aqueles que voluntariamente marcam sua pele com tinta. Como na Divina Comédia de Dante, o autor – desta vez acompanhado não por apenas um guia, mas por um pequeno grupo – passa pelos locais para onde são mandados os vários tipos de espíritos.
Abismos horríveis, locais como verdadeiras prisões malcheirosas, onde habitam espíritos deformados pelo mau-caráter e más ações. Locais para criminosos, estupradores, torturadores e molestadores de crianças, homicidas, traficantes e psicopatas. Tudo o que há de mais terrível e execrável no gênero humano. Um homem que torturou e matou cerca de 40 crianças, e que ainda se ria disso. Uma mulher que cometeu nada menos que 38 abortos quando encarnada, e agora era castigada naquele local de trevas. E, em meio a todos esses “infernos”, nossos “heróis” se deparam, no capítulo 6, com o tenebroso Vale dos Tatuados, local escuro e horrendo, cujos habitantes pagam pelo pecado de terem estragado a sua “roupa perispiritual”.
Lendo as descrições do vale e seus habitantes, chego a imaginar uma gravura de Gustav Dorè para ilustrar os terríveis tormentos dessas almas, cujas tatuagens queimam como fogo e exalam uma incômoda fumaça escura. Algumas mulheres são descritas com a aparência de verdadeiros demônios, cujas línguas, pesadas pelo excesso de piercings, chegavam até a altura do peito. Enquanto o grupo passava, elas diabolicamente mostravam as línguas e davam gargalhadas.
Em determinado momento, provavelmente com a intenção de não parecer preconceituoso – o que deve ser inaceitável para um espírito realmente evoluído – o autor questiona o seu guia a respeito daquele local reservado às pessoas que têm desenhos na pele, citando o fato de que existem tatuados com boas intenções. É informado então que nem todos vão para lá, apenas os “comprometidos”. Em seguida, chama a atenção para o fato de que ali não se encontram pessoas que fizeram tatuagens pequenas, a maioria tem boa parte do corpo tatuado.
A impressão que temos é de que o comprometimento da pessoa é proporcional à quantidade de tattoos que ela tem. Ai, pobre de mim, ai! Será que não terei salvação?
Muitas daquelas almas atormentadas, ainda que não admitissem, estavam arrependidas das tatuagens que fizeram durante suas vidas terrenas, e desejavam então se ver livres delas. Algumas imploravam ao grupo dos “bons” que limpassem seus corpos, retirando a maldição, o sinal do mal. Mas um deles diz que “somente fazendo boas ações veremos apagadas todas essas estampas” (pág. 75).
Neste trecho, fica explícita a intenção do autor de contrapor as boas ações ao fato de se ter tatuagens (no caso, a má ação). “Todos aqueles que estragaram sua roupa perispiritual terão de pagar ceitil por ceitil.” (pág. 74).
(Abro um parêntese para comentar o termo “estragar”. Quando uma pessoa se tatua, ela não está estragando seu corpo, e essa afirmação denota uma visão extremamente preconceituosa daqueles que não admitem ou não conseguem perceber pontos de vista diferentes dos seus. Quem gosta de tatuagens não as considera, de maneira alguma, como uma agressão ao corpo.)
Os espíritos tatuados, segundo o livro, são pessoas que não gostam de ninguém, nem de si mesmos. Ao ser questionado pelos motivos que o levaram a se tatuar, um deles responde: “Não sei. Acho que somos influenciados pelos trevosos, os chefões deste vale.” (pág. 77).
Cuidado, você que pensa em se tatuar! Está escrito: é influência das trevas!!!
Mas o problema, segundo o autor, não são as tatuagens em si. É que aqueles que se tatuaram deixaram de realizar a missão que tinham como encarnados. Em meu entendimento, para que essa afirmação seja coerente, a missão a que ele se refere deve ser “não se tatuar”. Pois obviamente não será o simples fato de termos ou não tatuagens que influenciará nosso caráter e ações, impedindo-nos de realizar aquilo que deveríamos.
Apesar da tentativa de nos mostrar que as almas que habitam o vale não estão ali pelo simples fato de serem tatuadas, mas pelas más ações e intenções, o autor alerta as mães de família sobre os “malefícios da tatuagem”, como se estas gerassem uma mudança de caráter e, conseqüentemente, as más ações.
Ainda nesse livro o autor critica a dança e a música dos jovens – ambas, com certeza, influenciadas pelos “espíritos inferiores”. (pág. 82) Ou seja, tudo o que desagrada a ele (o espírito Luís Sérgio), é atribuído a espíritos trevosos ou inferiores...
Será que isso é evolução espiritual? É não compreender e não aceitar pontos de vista diferentes? É pregar a intolerância?

CONCLUSÃO
Acho um absurdo que uma doutrina como a espírita, que prega amor, caridade e tolerância ao próximo tenha adeptos que espalhem esse tipo de idéias. É um insulto a qualquer doutrina ou religião que pessoas busquem, em seus ensinamentos, falsos embasamentos para justificar seus preconceitos pessoais!
A conclusão a que pude chegar é simples – os espíritas estão certos: quando nos livramos de nosso corpo carnal, não perdemos a nossa personalidade – nossas convicções, nossos medos, nossos afetos, nossos PRECONCEITOS.
Lá (no mundo além-túmulo), como aqui, existem pessoas preconceituosas e que, pior, fazem o possível para divulgar seus pontos de vista distorcidos. Entendo que, em um primeiro momento, a intenção do espírito Luís Sérgio pode ter sido boa, pois o livro fala também sobre os problemas dos jovens com tóxicos, a importância de uma família bem estruturada e uma boa educação moral – coisa que é realmente necessária. Infelizmente, quando inclui a tatuagem como um mal a ser evitado (juntamente com drogas, promiscuidade e desrespeito) o que ele faz, ao contrário de instruir, é despertar e intensificar a intolerância que já existe contra determinado grupo de pessoas. Será que isso é evolução espiritual?

Bibliografia:
"Mais além do meu olhar"; pelo Espírito Luiz Sérgio; psicografado por Irene Pacheco Machado. - 1. ed. - Brasília: Livraria e Editora Recanto, 200 1. Este livro foi psicografado no ano de 1999.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Os Orixás e os Cristais



Por Angélica Lisanty
Sabemos da importância dos elementos da natureza  para trazer a energia de um Orixá até nós.
Cultuar um Orixá é estar em contato com a própria natureza e reverenciá-la.
Um dos elementos que podemos utilizar para atrair mos determinadas energias, ou padrões vibratórios específicos de cada Orixá, são os Cristais.
Sua vibração possui freqüência magnética e também um eixo energético, capaz de atrair, canalizar energias e concentrá-las.
Cada pedra possui uma ligação vibratória com cada um destes campos.
Um cristal é capaz de atuar em várias dimensões de existência, a cada um de nossos amados Orixás.
Como se pudéssemos trazer para junto de nós um canal da energia de Ogum, outro da energia de Iansã, e assim por diante, através de uma pedra.
Nos assentamentos de santo, os Cristais são utilizados para esta finalidade, sendo colocados nas sopeiras, que representam o "ventre" do Orixá.
Neste ventre, é gerada a energia necessária ao bem estar e equilíbrio de seus filhos.
Portanto, os Cristais são pequenos presentes que recebemos da Mãe Natureza, que nos ensinam, nos acolhem e nos direcionam.
Muito se avançou nos estudos destes elementos, que sempre foram parte integrante de vários sistemas religiosos em todos os tempos. Mas desde as pesquisas dos alquimistas, na Idade Média, foi possível começar a comprovar cientificamente a eficácia energética de sua atuação. E não se parou desde então, as comprovações daquilo que nossos Caboclos e Pretos Velhos já falam há muito.
Seu efeito terapêutico navega por várias nuanças dos efeitos físicos do desequilíbrio energético.
Tratamos com Cristais não só o corpo físico, mas também todas as camadas áuricas, e principalmente os Chakras e o fluxo energético do corpo que corre entre eles.
São 7 Chakras principais e muitos outros periféricos, que quando em desequilíbrio, podem ser a razão dos mais diversos problemas físicos, mentais, emocionais e espirituais. Mas temos muito mais a descobrir. . .
Na Umbanda, as entidades que dominam este conhecimento, podem trazer uma infinidade de informações, tanto no aspecto da cura, como a Atuação Mágica destes elementos tão vitais.
Um Cristal é capaz de canalizar, conter, expandir a Luz Espiritual.
Suas aplicações são infinitas . . .

Utilizamos para:
Orixá Exu " Em geral as pedras pretas, que possuem a capacidade de lidar com energias mais densas e pesadas. A Turmalina Preta é capaz de Transformar a energia negativa e dissolvê-la, nem que para isso ela se desfaça e vire pó. Sinal que cumpriu sua missão.
Orixá Ogum " Utilizamos os metais ou pedras metálicas para defesa como : Magnetita, Hematita. Já para o outro papel que Ogum exerce que é o direcionamento, podemos utilizar a Sodalita, que contém em si este potencial.
Orixá Oxossi " Utilizamos as pedras verdes, mas em especial a Esmeralda, que possui todos os poderes que abrangem a fartura, o equilíbrio mental e de consciência, a constância e o trabalho, mas principalmente a magia. Já para Odé, energia que precedeu Oxossi no Panteão, podemos utilizar o Lápis Lázuli ou a Safira azul, ambas trabalham a abertura mental e a conexão espiritual.
Orixá Oxum - A energia da riqueza pode ser canalizada através da Pirita e do Citrino, já a energia do Amor pode ser canalizada pelo Quartzo Rosa, Rodocrosita e também a Lepdolita.
Orixá Iansã " Para esta energia utilizamos o Metal Cobre em artefatos, ou podemos nos beneficiar também da energia da Ágata de Fogo.
Orixá Xangô " Utilizamos a energia do Rubi , que é entre outras coisas, canal da Justiça Divina.
Orixá Obaluayê " Poderosas energias de cura possuem as Ametistas, inclusive para tratar problemas de pele.
Orixá Iemanjá " Podemos utilizar a sua principal pedra que é a Água Marinha, pois sua atuação é muito intensa, trazendo calma, paz interior, aproximando as entidades protetoras e limpando o emocional, o mental e o físico de energias nocivas. Mas a nobre pedra de Iemanjá é a Safira.
Orixá Oxalá " A Oxalá pertencem as pedras brancas, mas em especial o Cristal Branco que simboliza a Fé, a Harmonia, a Purificação.
Orixá Ossain " Também utilizamos para Ossain a Esmeralda, principalmente lapidada em forma de tartaruga.


Texto Enviado ao Jornal da Umbanda Sagrada em 11/03/04.

Mensagem de Vovó Cambinda da Guiné



Graças

Graças a Deus!

Pela vida, pela água, por todas as bênçãos sobre nós derramadas todos os dias.
Graças a Deus!
Por aqueles que se dispõem a nos auxiliar, que em nome da caridade, deixam seus lares, filhos, pais, amigos, para nos assistirem.
Graças a Deus!
Pela fé, pelo alento das mãos amigas que vêm, através de outras mãos, nos socorrerem, aliviarem.
Graças a Deus!
Pela prece, por Jesus, por todos os que vêm, em Seu Nome, nos ajudar.
Graças a Deus!
Por tudo, pois se hoje sofremos, choramos, amanhã nossa dor, nosso pranto, há de se transformar em alívio, em riso, encanto por saber que nada, por Sua Misericórdia, é definitivo porque tudo passa e, passar por tudo, N’Ele confiando, é a nossa garantia de progresso.

Uma corrente não se forma só no nome, ela se compõe da firme disposição de cada elo que a forma.
Não somos um, somos todos e todos colaboramos com a corrente fraterna do bem, com Nosso Senhor.

Que seus corações realmente se unam, não somente para mais um trabalho, mas para o firme propósito de colaborar, juntos, com o bem, o progresso, a evolução e o amparo de todos os filhos do Pai que em vossa casa buscam a paz, o conforto, o alívio, a direção.

Coloquem em seu coração, muito amor, de nada mais que isso, garantimos, necessitarão.

O amor é luz, a tolerância é a centelha e a paz é a voz que cala, isolando-nos de tudo o que não é fruto da compreensão.

Deixo esta mensagem singela, com o coração repleto de felicidade e sempre firme na disposição de servir e auxiliar.

Uma vovó!

Anna Ponzetta 18.06.2008

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Os cristais e seu poder de cura - Os cristais e a cromoterapia -


  



Olá amigos!




Posto abaixo breve texto sobre o poder de cura dos cristais e os cristais atuando em conjunto com a cromoterapia.

Energias puras que a Mãe Terra nos doa com generosidade, os cristais já foram utilizados em processos de cura de muitas civilizações e, nos dias atuais, retornam à memória daqueles que de alguma forma fizeram, no passado, uso dessa terapia eficaz, porém, sempre lembrando que é uma terapia auxiliar e não dispensa a sabedoria e o valor da medicina, antes sim, se une a ela para que a cura se processe de forma mais profunda, ou seja, voltada a cura do ser integral que envolve espírito e matéria.

Boa leitura!

Annapon


Há milênios a humanidade usa cristais e outras pedras de poder em suas práticas de cura e religiosas, mas seu uso costumava ser restrito a Xamãs, sacerdotes e iniciados. Na cultura antiga da Índia, Grécia e Egito, eram usados para energizar remédios e auxiliar na medicina. Podem ser usados em conjunto com outras terapias, tendo afinidade com a terapia das cores. Os cristais amplificam as energias, além de conter na forma mais pura as cores que são necessárias para nosso equilíbrio físico, biológico e espiritual. Também nos ajudam a transmitir e/ou absorver energia, direcionando-a e ampliando-a.Podemos melhorar nossas vidas e nossos relacionamentos usando o poder dos cristais, transmitindo sua própria energia positivamente e atraindo assim energias positivas para nós mesmos. Os cristais são também agentes de transformação, capazes de acelerar nossa evolução espiritual.

Cada cristal pode ser ao mesmo tempo um livro, um professor, um curador, uma lente que abre contato com outras dimensões. Como Surgiram:Vamos voltar ao tempo, há cerca de 4,6 bilhões de anos. Nesse tempo, a Terra se formava, da mesma nuvem de gás e poeira interestelar que deu origem ao Sol. Partes desta nuvem esfriaram e se condensaram, formando o nosso planeta e o sistema solar. Não se sabe ainda como as primeiras formas de vida começaram a se organizar. A grande maioria dos cristais se forma pela adição repetida de matéria à massa cristalina em crescimento, a partir de "sementes" de silício, oxigênio líquido e areia. Grupos de moléculas de SiO2 (oxido de silício), juntam-se para compor espirais em uma estrutura tridimensional de forma geométrica precisa e exata. Os cristais de quartzo podem ser formados de quatro maneiras diferentes: · Soluções de água e areia, com a ajuda de microorganismos, recebendo adição repetida de matéria; · Rios de lava vulcânica que vem à superfície e sofrem esfriamento sob altas pressões; · Gases quentes, que saem do interior da terra, esfriando e condensando-se, sob altas pressões, em regiões vulcânicas.· Minerais diversos, como o ferro, cristalizam-se sob certas condições de pressão e temperatura, em regiões mais baixas na crosta terrestre, em áreas não vulcânicas. USOS DIVERSOS Banhos

Para obter um efeito de energização, escolha alguns cristais de sua preferência e coloque-os na banheira. Para quem não possui banheira, coloque o cristais em um recipiente, mas nunca de metal, e após o banho normal, retire os cristais do recipiente e jogue a água sobre seu corpo do pescoço para baixo, na qual ficou mergulhado os cristais. Após o banho, limpe-os e energize-os novamente.

Energização de Ambientes

Escolha alguns cristais e coloque-os dentro de um vidro, um deles precisa ser quartzo. A medida que a água dentro do vidro for ficando escura, troque a água e lave os cristais.




Uso Pessoal

Escolha um cristal e coloque dentro de um veludo e carregue-o dentro da bolsa, no bolso ou qualquer outro lugar de sua escolha. Ou, coloque um cristal de sua escolha dentro do travesseiro enquanto dorme.




Plantas

Coloque um cristal de sua preferência e coloque perto da raiz da planta a ser energizada. Para ser absorvida a energia de um cristal, vire a ponta do cristal, de modo que fique direcionado à você. Se for passar energia para outra pessoa, direcione a ponta do cristal para a pessoa que irá receber a energia. Melhore sua vida e melhore o seu relacionamento com os outros, usando o poder dos cristais, transmitindo sua própria energia positivamente e atraindo assim, energias positivas para si próprio. Exemplo: Se esteve brigando com alguém, ao invés de ficar remoendo o acontecimento, tente transmitir para essa pessoa, através de seu coração e direcionando para o coração dela, uma luz rósea, a do quartzo róseo. Você ficará mais tranqüilo e quebrará a energia negativa da situação. Você também pode curar uma dor, sua ou de outros. Basta, com o cristal (branco ou verde) na mão direita, direcioná-lo para o local afetado. Lembre-se: A mão esquerda recebe e a mão direita doa. E para qualquer que seja o uso do cristal, você deve sempre estar com o pensamento elevado no amor, no bem e em Deus.




Desde há muito tempo os cristais e pedras preciosas sempre têm despertado um grande interesse no homem. Seja pela suas cores, seja pelo seu brilho, o fato é que o homem sempre atribuiu a estes minerais propriedades mágicas e de cura. Nos tempos atuais, houve um renovado interesse, não só pelos cristais e pedras preciosas como também por outros conhecimentos antigos que de alguma forma pareciam esquecidos, mas, que na verdade, podemos perceber agora estavam adormecidos, a espera de uma redescoberta. Foi então que as propriedades mágicas e terapêuticas dos cristais passaram a despertar novamente enorme interesse. Passou-se assim a pesquisar e a redescobrir todo o potencial que temos a nossa disposição através do seu uso. Hoje existe uma grande preocupação na aplicação de formas mais naturais de terapias, aquelas que possam tratar sem agredir, que possam de alguma forma promover a reintegração do homem com a natureza da qual ele faz parte. Os cristais atuam desta forma, acrescentando suas vibrações ao nosso campo energético, o que faz com que possamos restabelecer e manter o nossas energias em equilíbrio. O objetivo deste trabalho é auxiliar pessoas que de alguma forma estejam envolvidas em atividades de cura .


Texto extraído do site Ciência Esotérica.




ENTREVISTA - CROMOTERAPIA E CRISTAIS
Miriam Carvalho



MD: Como funciona a cromoterapia com cristais e quem pode aplicá-la?

Miriam: A cromoterapia trabalha a energia através das vibrações das cores e, quando aplicada através dos cristais, funciona harmonizando a energia da pessoa e também de ambientes, como no trabalho e no lar. A orientação deve ser aplicada por pessoas que estudaram o assunto ou que estejam habilitadas por algum curso específico.

MD: Existe uma relação entre as cores e os cristais?

Miriam: Sim, os cristais vibram pela sua forma e pela sua cor. Armazenam dados. Cientificamente já está comprovado que os cristais são os melhores condutores e amplificadores de energia, sendo utilizados na composição de fibra ótica, chips de computadores, relógios de quartzo ou rubi, etc., propiciando o avanço tecnológico. Da mesma forma, como amplificadores ou condutores de energia, são utilizados, esotericamente, através de suas cores e formas, para curas, meditações, energização de ambientes, pessoas, plantas ou animais. O Cristal funciona como um ionizador da energia. No prisma, você pode observar que ele decompõe a luz solar nas 7 cores do arco-íris.

MD: Qual a diferença entre cristal e vidro? Ambos têm o mesmo efeito?

Miriam: Não, os cristais são formados ao longo de milhares de anos, nas profundezas da terra, através do efeito das imensas temperaturas e compressão, fundindo moléculas de magma, gases internos da terra e água, num entrelaçamento molecular tridimensional perfeito. Podem ter formações diversas como cubos (Pirita), lâminas (Cianita), placas (Mica e Lepidolida), massa (quartzo), colunas (Turmalina) etc. São reservas de minerais na forma pura e fonte de registro de informações devido à potência para gravar e armazenar dados. O vidro organiza-se ao acaso, desordenadamente, como no caso da Obsidiana que é um tipo de vidro vulcanizado.

MD: Como proceder para energizar um cristal?

Miriam: Para energizar um cristal devemos, primeiramente, limpá-lo. Quando ganhamos ou compramos um cristal, ele traz armazenado registro do local de origem. Devemos então "zerá-lo" deixando 24 horas submerso em uma solução de água e sal grosso. Em seguida lavá-lo em água corrente e deixá-lo tomar sol por pelo menos 1 hora, entre as 8 e 11 horas da manhã de preferência, para receber o prana que irá energizá-lo. Os cristais podem também ser energizados na Lua cheia, tempestade, cachoeira, rio ou mar.
Os Xamãs energizam seus cristais de uma maneira diferente, eles acendem uma fogueira em campo aberto, perto de rio (água corrente) num dia especialmente escolhido (abertura de portais) e programam o cristal branco para uma finalidade específica do tipo, saúde, cura, harmonização, limpeza, amor e sucesso. É um tipo de energização feito com os elementais do fogo (Salamandras) e da água (Ondinas).

MD: Qual o local da casa ideal para se colocar os cristais?

Miriam: Os cristais são mágicos, tão especiais e maravilhosos que podem tornar-se amigos imprescindíveis. Combinam em qualquer lugar da casa ou do escritório. Ouça o seu coração!

MD: Existe um tipo de cristal específico para cada signo?

Miriam: Sim, existe uma pedra para cada signo de acordo com o planeta que rege e a cor. Por exemplo: Leão é regido pelo Sol, e as pedras indicadas são as de tom amarelo, como: citrino, topázio, calcita amarela, etc. O cristal branco poderá ser usado para tudo, representa a união de todas as cores.

MD: Existe um cristal específico para as questões afetivas?

Miriam: Sim, as pedras que favorecem o lado afetivo são as de tonalidade rosa, como o Quartzo Rosa, a Rodrocrosita, etc. Sempre ajudam a encontrar a pessoa certa para compartilhar o amor.

MD: Então existe um cristal para cada assunto?

Miriam: Sim, um kit básico de cristais deve conter:
• Quartzo rosa para o amor;
• Branco para paz;
• Verde para saúde ou regenerador celular;
• Pirita ou citrino para o dinheiro;
• Ametista ou Fluorita, Lilás, para trabalhar a espiritualidade; e
• Uma Drusa para limpeza.
Existe ainda uma infinita utilização para os coloridos.

MD: Qual o cristal indicado para melhorar a carreira profissional e gerar "bons fluidos"?

Miriam: Pode-se usar o Olho de Leopardo, ou Leopardita, (uma variedade do Jaspe) para ter sucesso e uma ametista para limpar negatividade.

MD: Existe algum cristal para recuperar uma amor perdido?

Miriam: Podemos utilizar um cristal do tipo Obelisco branco.
Depois de limpo e energizado, programá-lo, para uma função específica, passando mentalmente para o cristal tudo que quiser alcançar. Não esqueça nunca que, sempre que outra pessoa estiver envolvida no pedido, devemos acrescentar ao pedido a afirmação: "Desde que seja para o bem de ambos", para não interferir no livre arbítrio da pessoa e não acumular carma. Na maioria das vezes, a gente quer muito uma determinada situação e, de tanto pedir, alcança. Mas o Universo também pode estar reservando algo muito melhor para nós, sabia?

MD: E para que ele tome a iniciativa e assuma algo mais sério?

Miriam: Use a pedra da lua, ela sempre vai favorecer aqueles que se amam e que pretendem compartilhar um vida feliz "a dois". Você deve limpá-la com água e sal, energizar na lua cheia ou crescente. Usá-la em adornos ou na bolsa. Pode também ser colocada na cabeceira da cama. Na Índia a pedra da lua protege os amantes. Se ele continuar indeciso, "a fila anda" e aparece outro rapidinho.

MD: O que fazer para conseguir um bom namorado, usando os cristais?

Miriam: Para encontrar a pessoa certa e a quem você também fará feliz, use um quartzo rosa como talismã.

MD: Que pedra é indicada para estimular o relacionamento entre amigos e parentes?

Miriam: A amazonita que é a pedra da comunicação e da nova era.

MD: Qual é o cristal indicado para estudos e como usá-lo?

Miriam: É bom estudar perto de Lápis-lazúli ou Sodalita. Uma traz intelectualidade e outra criatividade. Usar também uma amazonita que revigora os meridianos cerebrais. Não esqueça de limpar e energizar ao sol.

MD: Os cristais podem ser utilizados em conjunto com o Reiki?

Miriam: Sim, quando se aplica Reiki, pode- se ter na sala um cristal mestre hexagonal ( 6 pontas iguais ), esse tipo de cristal é gerador cósmico e sem dúvida irá potencializar as vibrações da energia Reiki.

GERADOR ( Hexagonal ) - Função: Gerar força cósmica. Facilita a telepatia.




Geométricamente perfeito, possui seis faces que formam ângulos para se unirem em uma única ponta, possibilitando a absorção e reflexão de todas as cores existentes no espectro da luz.
Essas seis faces simbolizam os seis chacras e a ponta simboliza a coroa que faz conexão com o infinito.
Geralmente a base é mais leitosa, porque a força da luz se liga à força da terra. A energia flui da base para a ponta. Quando sua coloração é branco leitosa, contem vapor d'água, mas isso não significa que sua energia seja menor.

MD: Uma pessoa doente pode ser tratada com cristais?

Miriam: As pedras de tonalidade verde, como a esmeralda, quartzo verde, jade etc, trabalham a cura. Por exemplo, você pode colocar um quartzo verde dentro de um copo com água na cabeceira da cama da pessoa doente à noite. Cobrir com um guardanapo, para que ela tome pela manhã. Use sempre um cristal grande para que a pessoa, ainda com sono, não corra o risco de engolir a pedra. Ao tomar a água, a pessoa deverá mentalizar que as células e átomos de seu corpo serão reconstituídos e o negativo desmaterializado.
Automaticamente estará armazenando esses dados no cristal e no inconsciente.
Para potencializar a energia, principalmente em pacientes terminais, poderá ser usado também a pedra correspondente ao chacra.

MD: E tratamento para criança que faz xixi na cama, também tem?

Miriam: Claro, fazer xixi na cama, pode ser uma manifestação de insegurança ou falta de confiança em si mesma. Os cristais e a cromoterapia podem ajudar, porém, devemos antes observar se a cama da criança não está com a cabeceira virada para o Oeste, (contrário de onde nasce o Sol), se não está localizada embaixo de uma janela ou encostada em uma parede por onde passam canos de água, isso também interfere no metabolismo e devemos corrigir. Pode ser usada na cabeceira da cama um cristal de Ametista para resgatar a auto-estima e um quartzo rutilado. Não há necessidade de ser um cristal grande, cada centímetro de cristal emana 1 (um) metro de energia. Colocar, também, no quarto uma luz azul bem suave.

MD: O que os interessados no assunto devem fazer para saber mais sobre Cromoterapia e Cristais?

Miriam: Devem fazer cursos e ler livros. Para quem está começando existe um livro muito bom: • O LIVRO DAS PEDRAS SAGRADAS de BARBARA G. WALKER. (Editora Cultrix).

MD: Gostaria de deixar uma mensagem?

Miriam: Sim, a todos um abraço carinhoso pela atenção e não esqueçam de entrar sempre na energia da abundância universal. Sempre que pedir algo para si, peça também para que todas as pessoas que estejam na mesma situação alcancem a graça juntos. Essa vibração fará com que você alcance o objetivo mais rapidamente. Pensem sempre no todo e no bem comum.
Amo todos vocês. Obrigada e que Deus os ilumine agora e sempre!
Miriam!


Colaboradora: Miriam Carvalho
Terapeuta Esotérica, Taróloga, estudiosa de ciências esotéricas, especialista em Runas, Cristais, Cromoterapia, Anjos.
Email: miriam.cp@terra.com.br
Fone: (11) 5034-8646






Extraído do site Magia Dourada
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog